Esse é o tipo de filme que fui sem esperar muita coisa. Fui porque gosto de Woody Allen, mas achei “Você vai conhecer o homem dos seus sonhos” bem chatinho. Então, comprei o ingresso sem nenhuma pretensão, só porque entre tantos filmes chatos, um filme chato do Woody Allen não é tão chato assim. E qual não foi minha surpresa ao ser levada por uma viagem no tempo, cheia de charme. E mais, Allen me fez sentir alguma simpatia por Owen Wilson como ator.

Não posso contar muita coisa do filme, porque não quero estragar surpresas. O trailer espertíssimo, não conta absolutamente nada, então não sou eu quem vai tirar de você a chance de dar uma boa risada. Porém, além de toda mágica e energia do filme, há uma mensagem muito bacana. Sobre como nos prendemos a um passado idealizado e esquecemos do presente cotidiano. Há a dança, as frases de efeito, as grandes mentes, os clássicos, mas não podemos ficar presos a um passado em que não somos realmente alguém.

O filme é como um brioche. Provavelmente não mudará sua vida, mas será uma ótima experiência degustá-lo. A música é deliciosa, os figurinos preciosos, há milhares de cenas deslumbrantes de Paris, mas bom mesmo é sentar e se jogar nesse céu impressionista ou nos rinocerontes surrealistas. Rinocerontes!

Owen Wilson e Marion Cotillard em uma cena do filme Meia-Noite em Paris