Entre as várias rodas que aconteceram no LuluzinhaCamp 2015 uma bem interessante foi a dinâmica de coaching que a Patrícia Martins de Andrade, da YBR fez com a gente. Nos últimos encontros do grupo a Patrícia tem feito diferentes dinâmicas com as Luluzinhas, que fazem com que a gente pare e olhe para nós mesmas. A partir dessa auto-observação, conseguimos entender um pouco porque agimos de determinadas formas e se é válido – e possível – mudar algumas coisas em nós.

Dessa vez, Patrícia propôs uma análise SWOT. Quem trabalha, ou estuda, com marketing e propaganda está acostumado com o termo [ou sua versão em português, a análise FOFA] aplicado a empresas, marcas, mercados. SWOT significa Strenght, Weakness, Oportunity, Threat [ou em português, FOFA – Força, Oportunidade, Fraqueza, Ameaça], e são esses quesitos que são analisados com essa ferramenta. No coaching esse estudo é voltado para a pessoa.

Você pode tentar fazer essa autoanálise depois de ler esse post. Pegue uma folha de papel e divida-a em quatro quadrantes. Agora, marque cada um como Força, Fraqueza, Oportunidade e Ameaça. Veja como preencher cada um deles agora.

Análise_swot

 

Quais os meus pontos fortes?

São aqueles pontos que são positivos em mim, o que pode me ajudar a atingir algum objetivo, realizar alguma coisa. Para algumas pessoas esse ponto é bem difícil, lembrar de características que são elogiadas, atitudes que você toma e te deixam orgulhosa consigo mesma.

Ser atenciosa a detalhes, ser organizada, ter mãos firmes, raciocínio rápido, ser pontual…

Quais meus pontos fracos?

Aqui entram as características que você normalmente não gosta, e que você acha que dificultam que você vá adiante. Algumas pessoas têm dificuldade em listar esse tópico porque não gostam de admitir muitas das coisas que entram aqui.

Pouca criatividade, pouca sociabilidade, insegurança, falta de pontualidade, distraída, desorganizada…

Quais as oportunidades que eu tenho, de maneira palpável, na minha vida?

Aqui são as coisas que você pode realizar, dentro da sua realidade. Se você é jornalista, virar astronauta não é exatamente uma oportunidade [pode até ser, trabalhar para a NASA, fazendo crônicas, quem sabe?]. Esse é um ponto bastante particular, porque deve levar em conta suas ambições e habilidades.

Dar aula, mudar de cidade, estudar fora do país, fazer um mestrado, casar…

Quais as ameaças que podem existir para que eu execute essas oportunidades?

Aqui você deve cruzar as oportunidades com suas fraquezas, e ver o que te impede de realizar as coisas que você deseja fazer.

Demora em executar os planos, paralisia, falta de dinheiro…

 

Luluzinhas durante a oficina de coaching

Luluzinhas durante a oficina de coaching

A partir dessa análise, principalmente das fraquezas e ameaças, você começa a traçar alternativas, formas de contornar as ameaças. Se o meu problema é não ter dinheiro para abrir um negócio, posso procurar um investidor. Se meu nível de inglês não é bom, mas a melhor especialização que posso fazer é nos Estados Unidos, começo a fazer aulas, e assim por diante.

Fez a sua análise SWOT? O que achou? Vamos começar a fazer diferente e atingir os objetivos?

Se você achou legal a dinâmica, conheça o trabalho de coaching da Patrícia. No fim de semana dos dias 7 e 8 de novembro acontece a maratona de coaching YBR e Trampos, e pode ser uma ótima chance de começar a mudar.