Artigo escrito pela Srta. Bia especialmente para o blog do LuluzinhaCamp.

Na época da organização do primeiro LuluzinhaCamp, surgiu a idéia de realizar LuluzinhaCamps regionais com as meninas que não pudessem ir a São Paulo. A idéia não vingou. Porém, com os pedidos para que ocorresse mais um LuluzinhaCamp nesse final de ano, a proposta fez todo sentido, pois das Lulus de outros estados que estiveram em SP, poucas poderiam ir de novo no mês das festas. E lá no meio do centro-oeste, na capital federal, eu e Lu Monte gritamos na mesma sintonia que precisávamos realizar um encontro local. Sabemos como havia sido divertida e especial aquela tarde em SP, queríamos espalhar a idéia.

Começando o primeiro LuluCamp em Brasília

Começando o primeiro LuluzinhaCamp em Brasília.

Conversamos, selecionamos convidadas, criamos lista de discussão e estava montado o primeiro filhote de LuluzinhaCamp. Mais conversas, projetos, decisões, local, idéias e voilà! Dia 07/12/2008, onze mulheres se reuniram para celebrar, conversar, rir, ganhar, trocar, brincar, dançar, comer, beber, twittar e partilhar. Nossa intenção era realizar o evento simultaneamente ao de São Paulo, mas muitas pessoas que residem em Brasília viajam para visitar suas terras natais e por meio de uma votação rápida o dia 07 se mostrou mais propício. É claro que isso não nos impedirá de realizar um mini micro LuluzinhaCamp no dia 20/12 para conversar online com as meninas de Sampa. Porque agora tudo é motivo para festa!

O local escolhido foi o Balaio Café. Simpático café/restaurante que possui wi-fi, boa comida, boa localização, preço honesto, torta de suflair, comanda individual, salão para eventos na parte superior, música ao vivo e apenas uma tomada funcionando. Descobrimos que é importante às vezes carregar uma régua de tomadas na bolsa para emergências. Às 12h, Srta. Bia e Lu Monte abriram o restaurante. O encontro só foi acabar perto das 19h, quando as remanescentes foram pagar a conta. A lista de participantes você já conhece, então vamos falar do que rolou:

Rebecca, a caixinha de sabonefeeds e a Srta. Bia.

Rebecca, a caixinha de sabonefeeds e a Srta. Bia.

#Sorteio de brindes. Confirmando a tradição do primeiro LuluzinhaCamp tínhamos muitos brindes para sortear, quase todas as participantes do encontro saíram com dois brindes (menos a Lu Monte, mas ela levou uma necessaire La Reina Madre ). Serviu para quebrar o gelo e deixar todo mundo feliz, pois adoramos ganhar presentes. Havia caixinhas com sabonefeeds, dvd da Luluzinha, ursinha de pelúcia da UNICEF, ecobags Ecoblogs, dvds, scraapbook digital, ingressos para show e muito mais. Teve até uma melissa novinha doada pela Claudinha.

#Amiga oculta. Sorteado na hora com quem levou presentes. Estipulamos o valor entre R$5 e R$10. Foi bom realizá-lo mais no fim do dia, pois já sabíamos os nomes umas das outras depois dos sorteios e pudemos dizer o quanto estava sendo divertido conhecer cada uma.

#Bazar de trocas. Quem quisesse participar deveria levar 5 coisas (livros, dvd, acessórios, roupas, bijouterias, etc) para trocar. A idéia inicial é que separaríamos os objetos por temas (cultura, vestuário, acessórios, etc) e a pessoa trocaria por outro objeto equivalente. Porém, no fim foi mais divertido trocar por qualquer coisa que quiséssemos, pesando quantos objetos cada uma trouxe e o que mais agradou. Roupas e sapatos não se mostraram tão trocáveis, pois é difícil achar entre poucas meninas o mesmo manequim e o mesmo tamanho de pé. Cd’s, Dvd’s e bijouterias tiveram boa saída.

As lulus doaram roupas e alimentos.

As lulus doaram roupas e alimentos.

#Arrecadação de donativos. Promovemos a arrecadação de roupas e alimentos que foram entregues num posto de coleta da Cruz Vermelha e no Batalhão do Corpo de Bombeiros do DF. Roupas que sobraram do bazar também foram para doação. É sempre interessante propor uma ação social ao reunir pessoas, pois resulta em mais um movimento de colaboração.

Esses pequenos eventos dentro do encontro ajudam a aproximar as participantes, a conhecer seus gestos, entonações e pensamentos. No LuluzinhaCamp cada Lulu é única, especial e fundamental para o ritmo do evento. O fato de ter poucas meninas permitiu que a conversa fluísse entre o grupo. Não havia correria, nem pressa. Estávamos lá comendo, beliscando, filmando, bebendo, fotografando, twittando e jogando conversa fora sobre futebol, internet, gatos, relacionamentos, restaurantes e afins.

Não faltaram bate-papo e alegria.

Não faltaram bate-papo e alegria.

Foi uma tarde agradabilíssima, doce e com tempero. No fim saímos com um sorriso no rosto e vontade de quero mais. Adoramos grandes encontros, com meninos e meninas, mas a impressão que tenho é que o LuluzinhaCamp é um evento mais íntimo, como se reencontrássemos de tempos em tempos amigas de escola, mulheres com a mesma sintonia. Sejam Lus, mães, advogadas, librianas, canhotas, professoras, trintonas, bonitas, casadas ou morenas, o que nos une é o desejo de contribuir para aquele encontro acontecer. É disso que o mundo precisa para mudar, o sentimento de solidariedade, partilha, colaboração e troca que emana em todos os encontros do LuluzinhaCamp.

Foi um prazer ajudar a promover o evento e honrar a incrível idéia original de Lu Freitas. Vida longa aos LuluzinhaCamps!

Srta. Bia.