A nossa Renata Correa, roteirista e produtora, que tem longo currículo na TV e no cinema vai dirigir, com a amiga Livia Perini, o filme Eu sempre quis dizer. A ideia do documentário é maravilhosa. Em vez de tratar dos grandes temas globais, elas querem coisas comuns a todos os seres humanos. Em Eu sempre quis dizer, a dupla vai contar histórias das coisas mal resolvidas que todo mundo carrega consigo pela vida.

O filme terá, inclusive, a própria Renata como personagem – não, não vamos fazer spoiler, você só saberá a história no lançamento (ou se ela te contar). Vale história difícil, mas não só. A seleção será entre pessoas de São Paulo e a Renata está à caça de boas histórias. Vejam o texto do formulário de casting (preencha se quiser participar), espalhem para quem quiserem e preparem-se para a aventura.

O que você sempre quis dizer para alguém, mas nunca teve coragem? Qual aquele sentimento guardado que vez ou outra volta sem aviso? Brigas de trabalho, rompimentos familiares, casamentos desfeitos, gafes, mal entendidos acidentais. Muitas vezes os relacionamentos não duram o tempo necessário para que tudo de fundamental seja dito, seja um relacionamento de um único dia, ou de anos, hilário, emocionante ou trágico. Esse casting é para conhecer você, que gostaria de contar o que afinal aconteceu. Pontos importantes:

– Todo o material só será usado no filme com a aprovação expressa do participante.

– Esse casting não garante a participação efetiva no filme, ele é uma pesquisa e também uma pré seleção.

– Todo o material do casting (entrevistas, textos, vídeos) é confidencial e só será exibido em qualquer mídia com a aprovação do participante.

– O casting se restringe apenas a cidade de São Paulo.

As dúvidas mais frequentes:

1) tenho que usar os nomes reais no depoimento pra câmera? Não. A história tem que ser boa, se você chamar Paulo de João não muda nada.

2) Vocês usam quadradinho na cara na hora de editar, mudam a voz? Também não. A pessoa selecionada que topar vai aparecer de cara limpa.