O Touro de Wall Street

A estátua de Arturo Di Modica é o grande símbolo da Bolsa de NY. E a mulherada não tem medo de bicho bravo 😉

foto: David Heylen, em CC

Neste dia 8 de março a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) estreou uma nova seção em seu site, o Como Investir. Claro que o nome da dita cuja é Mulheres e Investimento. Nela, a entidade faz campanha aberta para as mulheres entrarem no mercado de ações. Afinal, somos chefes de família e profissionais competentes, temos saúde, vivemos longamente… Por que não investir em ações?

A grande barreira é constituída pelos mitos que rondam a nossa participação nos mercados. E sabemos que mitos não cabem na vida de mulheres autônomas e independentes. Por isso é importante que a gente entenda direitinho como os mercados funcionam, as possibilidades de investimento, as chances para as pequenas investidoras (há fundos muito bacanas que aceitam investimentos baixos, coisa de R$ 50 ou R$ 100).

O melhor é que o primeiro guia lançado pela ANBIMA é utilíssimo: 10 passos para chegar aos 100 mil reais (arquivo em PDF). Claro que sair do vermelho para os 100 mil não acontece do dia para a noite, mas se você começar agora-já, estará mais perto do seu sonho que ontem, certo?

Os tais mitos e a verdade sobre a mulherada investidora

Mito 1: mercado financeiro é masculino. Verdade: mulheres ganham mais na Bolsa do que homens
Pesquisas feitas no mercado americano mostram que carteiras de ações geridas por mulheres apresentam resultado superior ao das administradas por homens. Segundo especialistas, isso ocorre porque eles costumam ter um giro excessivo em suas carteiras (muitas compras e vendas de ações), o que gera um alto custo de corretagem (taxa cobrada pelas corretoras sobre a negociação com ações).

Mito 2: não tenho dinheiro para investir. Verdade: Você tem mais dinheiro do que imagina
Se você tem uma receita, provavelmente tem o suficiente para começar a ser uma investidora. O problema é identificar os ralos por onde seus recursos estão escoando. Na seção Finanças Pessoais do site você aprende a gerenciar melhor seus recursos.

Mito 3: eu não conheço o mercado. FATO: você não precisa ser um profissional do mercado
Você não precisa ser uma expert em finanças para ser bem-sucedida. Mas é fundamental estudar antes e saber direitinho como os mercados funcionam, seus riscos e oportunidades para construir sua carteira de investimento. O dia-a-dia do mercado você pode entregar a um gestor profissional. Os fundos de investimento são um excelente caminho, pois na prática você está contratando um profissional para cuidar dos seus recursos.

Mito 4: melhor investir em casa própria. FATO: ter uma casa própria não é sinônimo de segurança financeira
Comprar a casa própria é o sonho da maioria dos brasileiros – e aí não importa gênero. No entanto, um imóvel não é garantia de proteção contra problemas financeiros. Ao contrário, se você não se organizar financeiramente e construir uma carteira que contemple as emergências que certamente vão aparecer, provavelmente terá de vender seu imóvel para apagar incêndios financeiros.

Mito 5: aplicações não são acessíveis para pequenos investidores. FATO: hoje é possível fazer investimentos a partir de R$ 100
A internet facilitou muito a vida do investidor. Hoje você pode comprar ações diretamente através de seu computador, sistema conhecido como Home Broker, com aplicações de valor inicial  muito em conta. Contudo, para investir diretamente em ações é necessário um conhecimento mais profundo deste mercado e, também, recorrer à ajuda de um profissional. E mesmo com pequenas aplicações é possível ter a ajuda de um profissional na gestão de suas economias. Há fundos de ações e demais fundos de investimento que estipulam aplicação mínima muito baixa e você não estará sozinha na hora de entrar no mercado. O importante não é investir muito, mas investir sempre para construir uma carteira bem-sucedida.