Julia Reis e Marcelo (Pergunte ao Urso) foto: Caio Novaes

Julia Reis e Marcelo (Pergunte ao Urso) foto: Caio Novaes

No último LuluzinhaCamp sorteamos dois cursos de educação financeira do Disop, oferecidos pelo Dinheirama. Infelizmente, uma das sorteadas não conseguiu ir. Mas foi uma delícia escutar o que a Júlia Reis aprendeu por lá:

O curso é bacana, com uma abordagem mais motivacional do que técnica.

E ainda ganhei uma moedinha dourada porque participei de um teatrinho para simular uma compra de celular. Um senhor ainda chegou a dizer que eu deveria ser atriz – ou comediante.

Saí de lá atualizando minhas planilhas de excel com gastos diários e crente que eu vou conseguir guardar dinheiro na vida – mesmo sendo jornalista, blogueira e crescido num período de master inflação. Parece então que o curso funcionou, né?

A metodologia do Disop é baseada em 4 pilares: Diagnóstico, Sonho, Orçamento e Poupança. Eles não te dizem onde investir o dinheiro, por exemplo. Mas mostram como é possível juntar uma grana para seus sonhos – viagem, casamento, casa na praia, etc. – mesmo que você tenha um orçamento curto. As simulações de juros sobre juros são legais para pensar em guardar dinheiro pra comprar um imóvel à vista ou para atingir um objetivo.

Alguns exemplos são claros: Se a gente consome R$ 30 em pizza toda semana, em 30 anos teremos deixado mais de R$ 500 mil com o pizzaiolo. Isso não quer dizer que devemos deixar de comer pizza, mas mostra que é possível juntar grana para uma independência financeira, né?

(E economizar em besteiras, claro: 500 mil em pizza, tô em choque até agora…)

Uma dica bacana é baixar as planilhas no site para controlar nosso orçamento e gastos: http://www.disop.com.br/secoes/downloads?menu
Há uma somente para simular os rendimentos do dinheiro poupado ao longo dos anos, com as fórmulas já prontas graçasadeussss!

As outras Luluzinhas, claro, não deixaram por menos e a conversa ficou tão legal que a gente combinou de publicar aqui (e o post ficou nos rascunhos por mais de mês, que vergonha!)

Cintia Costa (mulher chique tem dois blogs: Planejando meu Casamento e Recém Casada)

Matilde 118

Fiz um curso deste tipo na época em que trabalhava na Infomoney e descobri que se eu gastar com alguel + dindim na poupança o mesmo que gastaria com uma parcela de financiamento, compro minha casa à vista em menos tempo que o financiamento. To fazendo isso… Foi legal descobrir essa liberdade que a disciplina financeira traz e como não dói tanto assim poupar.

Jess Carrasco

Garcia Sales desenha a Jess

Umas dicas que funcionam para mim;

1) “Guardar dinheiro para que? Porque deixar de ser feliz agora para ser feliz mais tarde?” são questionamentos importantes. Se você não tiver uma meta para o dinheiro, não vai guardar. E é legal ter metas de diferentes prazos, por exemplo, comprar um notebook em 3 meses, conhecer o Chile em 1 ano e pagar um MBA na Europa em 5.

2) Separe um $$ para torrar mesmo, assim você saberá o que pode ou não fazer e deve se disciplinar para NUNCA passar esse limite.

3) Tenha uma conta poupança com qualquer valor, até uns R$ 50, para ‘dores de barriga’

4) Abra um plano de previdência enquanto é cedo. Com isso você paga menos e terá uma aposentadoria mais gorda. Se possível, deixe o pagamento da previdência no débito automático.

5) Invista em CDBs – não tem taxa de administração, o valor de aplicação mínimo não é alto e você pode fazer aportes todo mês. E novamente, se possível, deixe a transferência do valor da sua conta para o CDB automatizada, já que todo mundo tem mais ou menos preguiça e é bom evitar desculpas.

Lidi Faria

@lidifaria soy yo!

Semana passada assisti duas palestras do Cerbasi (autor do “Casais inteligentes enriquecem juntos”).

A Jess deu três dicas de ouro que também ouvi lá:

2) Separe um $$ para torrar mesmo, assim você saberá o que pode ou não fazer e deve se disciplinar para NUNCA passar esse limite.

Nota Lidi:  Siiim, NOB, boteco, café, baladas são importantes e fazem parte do nosso lazer, da nossa felicidade. De que adianta guardar tanto dinheiro? Pra não ser feliz? A dica está em separar uma parte do dinheiro pra isso, pra esses gastos do cotidiano.

Exemplo: se você gasta 100 reais por mês no salão de beleza, separe 100 do seu salário pra isso. Te faz feliz, bem, você se sente linda. Vale a pena abrir mão disso? Faça essa pergunta sempre, e então verá o que é necessário ou extraordinário.

3) Tenha uma conta poupança com qualquer valor, até uns R$ 50, para ‘dores de barriga’

Nota da Lidi: Eu que o diga… Tô ficando doente pracaraleo e grazadeus tinha uma reserva. Não pra doença, claro, mas essas coisas nos pegam de surpresa… Dica valiosa, principalmente pra quem não tem mais papa/mama pra socorrer.

4) Abra um plano de previdência enquanto é cedo. Com isso você paga menos e terá uma aposentadoria mais gorda. Se possível, deixe o pagamento da previdência no débito automático.

Nota da Lidi: guarde o dinheiro numa previdência, CDI, seiláoque for melhor pra vocês, mas… ESQUEÇA DO DINHEIRO! (ou melhor, lembre-se para apenas investi-lo cada vez em planos melhores…) Guarde dinheiro pra fazer aquela viagem…. Mas também deixe uma parte para imprevistos, para garantir sua felicidade daqui um tempo. Não fique guardando pensando que vai sacar daqui um tempo… Desse jeito fica difícil pra guardar grandes valores.

Sim, dinheiro faz parte da felicidade. Você come, dorme, anda, bebe… E tudo isso, felizmente ou infelizmente, requer dinheiro. Tô errada? 🙂 E guardar dinheiro não é questão de quanto é seu salário… Já ouviram que quanto mais ganhamos, mais gastamos?

Tô terminando um livro do Veríssimo, mas depois vou direto pro do Cerbasi – sim, o casais inteligentes blablabla. Quem quiser bater um papo sobre o assunto… Estamos aí!

ps.: e eu comprei um porquinho de louça… =D