Agosto é um mês especial para os amantes de arte e cultura. Inspiradas em tanta criatividade, reunimos algumas luluzinhas para falar nos próximos dias do relacionamento delas, com a arte e a cultura. Cada uma do seu jeito, e cada jeito, bem especial, compartilhando um pouco da sua experiência no assunto nesta semana de arte e cultura do Luluzinha Camp. Hoje, como não poderia deixar de ser, o assunto é fotografia. Divirtam-se!

 

Pés de bebê / Vera Papini Fotografia - flickr

Pés de bebê / Vera Papini Fotografia – flickr

Oi gente, tudo bom? Meu nome é Vera*, sou fotógrafa, cat-lady, um pouco de dançarina e apaixonada pela vida.

Comecei a fotografar quando eu tinha uns 3 anos. E é sério isso. Meus pais ficavam malucos com a quantidade de filme que eu gastava. Ganhei minha primeira câmera, uma besta, daquelas compactas de viagem, quando eu tinha 9 anos. Desde então a coisa nunca mais foi a mesma!

Com a vida, além dos estudos, eu aprendi alguns macetes extremamente básicos, mas que ajudam muito a quem não sabe nadica de nada.

Eles são:

1 – Enquadramento. Claro que o clássico, a pessoa no meio, do tronco pra cima sempre funciona, mas tente fazer isso: Faça um enquadramento com a pessoa de canto, mais céu. Fica com uma cara de wallpaper, mas fica bonito, deixa de ser clichê. Outra coisa é: em fotos de grupo sempre tire foto com um pouco mais de teto que o costume. Parece estranho, mas deixa mais interessante.

2 – Anote. Eu tenho mania de meter o dedo na câmera para tirar MUITAS fotos seguidas. E sempre no caminho pra casa vou anotando o numero das fotos que eu acho que ficaram melhores e deletando as tortas e tremidas. Em casa fica muito mais fácil achar e fazer uma edição rápida.

3 – Cuidado com o flash. Conseguir VER a foto é sempre bom, mas ter flash demais (ainda mais flash direto) sempre deixa com um jeito amador demais. Não deixe o flash no automático. Deixe sem. Tire uma foto sem flash pra ver se fica bom, se tem luz, se tem contraste bonitinho. Deu certo, manda bala sem flash. Mas cuidado, sem flash as fotos tendem a sair mais tremidas. Tenha mão firme nessa hora. Na contra luz use flash sim. Acaba ficando bonito porque você ilumina o objeto e a luz do fundo preenche a cena. Outro jeito bacana de usar o flash é rebater ele numa parede ou teto. Assim o seu objeto fotografado não fica com uma luz muito dura ou com sombras e o ambiente se preenche de luz!

4 – Cuidado com a sua altura.Você já viu fotos de pessoas atarracadas mas que você sabe que são normais ou até altas? Isso acontece por causa da altura do fotógrafo. Um fotografo muito alto deixa as pessoas mais baixas atarracadinhas, e um mais baixo deixa todo mundo meio altão. Tente regularizar sua linha de horizonte com a da pessoa fotografada. Claro que outros ângulos devem ser explorados, estou falando de retrato e fotos sociais.

5 – Experimente, passeie e procure. Saia com a câmera na mão, procure coisas interessantes, ângulos novos, pessoas exóticas, casais, animais, qualquer coisa que te inspire. Fotografe eventos de rua (mas vá acompanhado e cuidado com sua câmera!), sua mãe, sua cozinha, suas miniaturas. Fotografe temas diversos, de paisagem até coisas em macro. E o mais importante. SE DIVIRTA fazendo isso!

Espero que gostem.


*Vera Papini é amante da fotografia desde sempre. Quando adolescente era quem garantia o registro dos encontros. Formação técnica em Propaganda e Publicidade pela FECAP , no SENAC iniciou com o Curso Básico e depois bacharelado em fotografia. Trabalha com registros de festas (infantis e adultas), eventos corporativos, books e fotografia de alimentos e produtos. Saiba mais no www.verapapini.com e  flickr.com/vehzitah