Camila Achutti no Google Women in Tech

Camila palestrando no Google Women in Tech, que aconteceu em março de 2014

A Camila Achutti, do Mulheres na Computação, entrou no horizonte LuluzinhaCamp quando fui dar uma força pra RodAdaHacker. Foi amor à primeira vista. Grandona, ativa, ativista, a Camila, ainda por cima, é inteligente e linda!

Depois disso, claro, passei a seguir a moça por aí. Fui testemunha da sua ida para o Google, as rodas do Technovation Challenge e ela ser capa da InfoExame em março, numa matéria em que as mulheres eram o destaque.

Claro que quem conhece a Camila não se surpreende. A moça é fera mesmo e está só começando a voar. Daí que este post é pra falar um pouco de tecnologia, inovação e vontade de mudar o mundo, pelos olhos da Camila.

Daí outro dia, vi um convite dela para o hangout Papo Acima da Média, com universitários. E assisti. Foi daí que nasceu esse post, porque ouvir a Camila falar é um prazer. E ela fala sem medo de algoritmo, como fazer tecnologia e como a tecnologia é muito parecida com a vida, isso se aplica pra todo mundo – basta você ter um tiquinho de imaginação e ver o mundo de forma mais aberta.

Abaixo, as frases da Camila que me tocaram… (logo depois está o vídeo com o hangout).

Tem que testar e errar, não tem como analisar e ficar só com isso.

Eu quero mudar o Brasil. Fora eu me sinto mais uma, aqui eu me sinto catalisadora de mudanças.

A vida profissional tem que estar alinhada com o pessoal e os ideais.

Falta, no Brasil, que a academia e o mercado conversem mais.

Não acho que a faculdade vale pelas aulas. Interessa o cenário. Acho a iniciação científica uma experiência essencial.

Eu tenho como regra me expor o máximo que posso, raramente digo não para qualquer coisa logo de cara. Tudo o que me aconteceu foi por conta disso.

Façam esporte.

Se jogue.

Nos EUA – as pessoas fazem. Com tecnologia tem que testar, tem que ir e testar, nada é bem sucedido se não sair de casa e testar. Essa é a grande coisa da tecnologia de alto impacto. Não somos uma lavanderia, neste negócio é mais fácil não falhar, tem modelo pronto.

É preciso valorizar a falha, aprende3r com o erro – e conte para os outros para eles não cometerem o mesmo erro. A chance de inovadores errarem é maior.

Aqui no Brasil, as pessoas não contam as suas ideias com medo de serem roubadas. Nos EUA, já saem perguntando: como posso ajudar?

Está na faculdade? Estude muito. Tem muita linguagem, muito tudo, tem que se expor ao máximo. Claro que você não vai conhecer tudo. Para se destacar, tem que saber T – estuda muito algo específico, que você é boa, para ser conhecida, mas sabe as outras áreas.

Nunca parar de estudar. Se ficar parado é mais difícil – é preciso ler tudo: feed, twitter, Facebook.

Quais são as mulheres que inspiram a Camila? Ada Lovelace, paixão pela matemática. Valeria Aurora. Maria Gaetana, filósofa, linguista, matemática, doodle de hoje.

A maior vantagem de trabalhar como eu, em home office, é que você faz tudo o que quer, como quer. Não se contentem com empresas ruins quando existem tantas oportunidades. Se ninguém quer trabalhar com você, você está fazendo cagada.

O hangout na integra:

foto: divulgação.